Quinta, 23 de Setembro de 2021 05:53
(94) 992310757
Educação Covid-19

Retorno às aulas presenciais é adiada no município de Xinguara

A decisão foi acordada em razão da classificação do bandeiramento, definido pelo governo do estado

08/03/2021 16h37 Atualizada há 7 meses
913
Por: Gesiel Teixeira Fonte: Jornal Folha Ativa
foto: Ascom
foto: Ascom

A rede pública municipal de ensino de Xinguara teve o retorno das aulas presenciais adiado após reunião realizada com representantes da Semec, Ministério Público, Sintepp e Saúde.

A decisão foi acordada em razão da classificação do bandeiramento, definido pelo governo do estado, para a cor vermelha, que é de risco e com elevada propagação da Covid-19 que tem atingido um grande número de pessoas nesse início de ano.

De acordo com o secretário Genival Fernandes, foram feitos investimentos de cerca de 400 mil reais pela Secretaria Municipal de Educação, com adequações seguindo as orientações das autoridades sanitárias, com instalação de pias, tela de proteção facial, pedal gel, álcool em gel e EPIs.

De acordo com o secretário Genival Fernandes, no final deste mês de março haverá uma avaliação para um novo posicionamento e tomada de decisão sobre o retorno presencial de forma gradativa. Informou ainda que as aulas terão início por meio de plataforma digital, com aulas online.

Considerando a necessidade de informações para o funcionamento nesse formato, os alunos acompanhados dos pais deverão buscar orientações nas respectivas escolas onde estão matriculados. 

“Estamos buscando alternativas e uma delas é em parceria com a secretaria Municipal de Saúde para a compra de vacinas por meio de consorcio de prefeituras para vacinar os profissionais da educação, com maior urgência”, assegurou ele.

A reunião ocorreu na sede do Ministério Público no município, e foi coordenada pela promotora de Justiça, Flávia Macchi. “Nós não ignoramos que a bandeira é vermelha, mas ainda assim temos que nos antecipar, porque vai chegar o momento do retorno às aulas presencial, e é importante que todos os órgãos debatam e apresentem seus pontos de vista para que essa decisão seja feita da maneira mais consciente e segura possível”, disse.

A representante do Sintepp, professora Maria Reis, destacou a necessidade de compreensão de todos. “Sabemos que as crianças precisam estudar, mas contamos com a compreensão da sociedade para este momento, para não colocarmos as nossas crianças em risco, pois assim estaremos agindo com responsabilidade da maneira mais adequada e responsável na formação para o futuro do nosso país, e com a participação da família de forma mais envolvida nesse processo de escolaridade dos seus filhos”.

Dia 15 de março será o retorno das aulas online, onde o secretário Genival Fernandes justificou que é impossível o retorno das aulas presenciais, mas assegurou que, “logo que mudar de bandeiramento retornaremos às aulas presenciais”.

1 comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.