Domingo, 19 de Maio de 2024 18:01
(94) 992310757
Geral CONFLITOS AGRÁRIOS

Projeto de lei contra o MST e ocupações de terras deve ser votado na Câmara dos Deputados nesta semana

Visto como uma forma de desestimular movimentos sociais ligados ao direito à terra e à reforma agrária, o pacote de medidas previsto no projeto de lei inclui o corte de benefícios sociais dos ditos invasores e impedimento de firmar contratos junto ao poder público

15/05/2024 19h04
Por: Gesiel Teixeira Fonte: Fato Regional
Projeto de lei contra o MST e ocupações de terras deve ser votado na Câmara dos Deputados nesta semana

Nesta semana, a Câmara dos Deputados deve votar o projeto de lei que tenta desestimular movimentos sociais ligados ao direito à terra e à reforma agrária, como o MST. A possibilidade foi ventilada pelo presidente da Casa, deputado Arthur Lira (PP-AL), durante reunião com líderes partidários. A proposta é “desestimular invasões”, mas mira apenas em grupos sociais mais pobres a princípio, já que empresários grileiros não seriam afetados por medidas como essa.

O projeto de lei determina que “invasores de propriedades” serão impedidos de receber auxílios ou benefícios de programas do governo federal, como o Bolsa Família. Também ficam impedidos assim como de tomar posse em cargos e funções públicas e nem firmar contratos com o poder público. Trata-se de uma proposta da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA).

Esse projeto foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara no fim de abril e teve como relator o deputado Ricardo Salles (PL-SP), ex-ministro do Meio Ambiente do governo Jair Bolsonaro (PL). Salles foi relator da CPI do MST em 2023, que terminou sem apontar nenhum crime de fato do movimento e dar espaço para que as propostas e missões do grupo fossem conhecidas.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.