Domingo, 19 de Maio de 2024 17:54
(94) 992310757
Saúde SAÚDE

Vacinas para Covid chegam ao Brasil após falta de estoques

Imunizantes são da Moderna e foram adquiridos após concorrência com a Pfizer. A estratégia da campanha de vacinação será divulgada em breve

03/05/2024 19h58 Atualizada há 2 semanas
Por: Gesiel Teixeira Fonte: DOL
Vacinas para Covid chegam ao Brasil após falta de estoques

Oprimeiro lote de vacinas atualizadas da Covid chegou no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, na manhã de ontem (2). Os imunizantes são da Moderna e foram adquiridos após concorrência com a Pfizer.

Procurado, o Ministério da Saúde afirmou que divulgará a estratégia da campanha de vacinação em breve.

Segundo a Moderna, serão cerca de 40 voos ao longo do mês para trazer as 12,5 milhões de doses adquiridas pelo Ministério da Saúde. Ontem, chegaram ao país 1,25 milhão.

A vacina possui tecnologia para proteger contra a sublinhagem XBB.1.5 do coronavírus, que tem a replicação mais veloz até o momento, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde).

A primeira disputa de empresas por um contrato de imunizantes atrasou a campanha nacional de vacinação contra a Covid, planejada para acontecer no último mês de abril.

A secretária de Vigilância em Saúde, Ethel Maciel, disse em entrevista anterior ao jornal Folha de S.Paulo que o registro da vacina da Moderna embaralhou a compra, uma vez que antes não havia concorrência - até então só a Pfizer detinha os registros para o modelo que a Saúde buscava.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou em dezembro de 2023 o uso no Brasil da vacina da Pfizer para a variante XBB. Em março, concedeu o mesmo aval para o imunizante da Moderna. Ainda segundo ela, o ministério começou a preparar uma compra emergencial de vacinas no começo de 2024. As propostas das empresas foram entregues no começo de março.

Em fevereiro, Maciel escreveu no X (ex-Twitter) que a vacina adaptada à variante XBB chegaria ao Brasil no mês seguinte. Em março, a ministra Nísia Trindade prometeu começar a vacinar grupos prioritários em abril. O imunizante, porém, só foi comprado no dia 19 de abril e o plano passou a ser abrir a vacinação dos grupos prioritários neste mês de maio.

Pará registra 4ª vítima fatal da dengue

O Pará contabilizou nesta semana o quarto óbito provocado pela dengue no ano. O caso mais recente foi registrado em Parauapebas, segundo informou o Ministério da Saúde. As outras três mortes confirmadas no estado até agora em 2024 ocorreram em Belém, Altamira e Monte Alegre. Pouco mais de 15 mil casos prováveis de dengue estão sob investigação.

Contudo, segundo o Ministério da Saúde, atualmente 21 estados brasileiros e o Distrito Federal apresentam tendência de queda ou de estabilidade na incidência de dengue. Apenas cinco unidades federativas ainda apresentam alta.

Sinalizam queda ou controle: Alagoas; Amazonas; Acre; Amapá; Bahia; Distrito Federal; Espírito Santo; Goiás; Maranhão; Mato Grosso do Sul; Minas Gerais; Paraíba; Paraná; Pernambuco; Piauí; Rio de Janeiro; Rio Grande do Norte; Rio Grande do Sul; Rondônia; Roraima; Santa Catarina e São Paulo. Sinalizam aumento: Ceará, Mato Grosso, Pará, Sergipe e Tocantins.

Para evitar a dengue, a eliminação dos focos do mosquito segue como medida mais eficaz. As larvas do transmissor se desenvolvem em água parada. Dessa forma, é preciso empenho da sociedade para eliminar os criadouros com medidas simples e que podem ser implementadas na rotina, como tampar caixas d’água e outros reservatórios, higienizar potes de água de animais de estimação, tampar ralos e pias, entre outras.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.