Domingo, 25 de Fevereiro de 2024 14:43
(94) 992310757
Geral COP 28

Governo do Pará lança programa que vai rastrear e garantir origem do gado até 2026

O governo do Pará já conta com incentivo financeiro de R$ 123 milhões, anunciado pelo Fundo Bezos e pela JBS nos próximos três anos para dar início à implantação do programa que vai levar a pecuária paraense a uma posição de destaque no mercado nacional e internacional

04/12/2023 09h29
269
Por: Gesiel Teixeira Fonte: Agência Pará
Até 2026, todo o gado paraense terá a cadeia rastreada e garantia de origem sustentável (Foto: Thalmus Gama / Agência Pará)
Até 2026, todo o gado paraense terá a cadeia rastreada e garantia de origem sustentável (Foto: Thalmus Gama / Agência Pará)

O governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), anunciou o Programa de Integridade e Desenvolvimento da Cadeia Produtiva da Pecuária de Bovídeos Paraenses. O lançamento ocorreu nesta sexta-feira (1º), durante a 28ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 28), em Dubai. O programa de identificação individual e a rastreabilidade do gado paraense deve ter as etapas de implantação concluídas até dezembro de 2026.

Para Helder, trata-se da maior iniciativa de monitoramento ambiental e sanitário do país. O programa foi construído unindo políticas públicas e esforços da iniciativa privada para o desenvolvimento econômico da pecuária paraense, com transparência e integridade de toda a cadeia, e garantia de respeito às regras sanitárias, fundiárias e socioambientais. É mais um pilar importante dos esforços do governo do Pará em combater o desmatamento.

Com o programa, será possível abrir novos mercados e valorizar os produtos de origem bovina produzidos no Pará, que terão rastreabilidade e garantia de integralidade de toda a cadeia. A iniciativa se une a outras políticas estaduais e federais voltadas à agropecuária, redução da emissão de gases de efeito estufa e preservação de meio ambiente. Assim, o Pará busca uma posição de liderança na produção pecuária de alta produtividade.

“A intenção é que possamos demonstrar que a pecuária sustentável pode convergir com a preservação ambiental e respeito às normas ambientais. Por outro lado, abrir novos mercados quando se tem uma pecuária íntegra numa cadeia que esteja dentro das conformidades. Abrindo novos mercados, valorizamos atividade, agregamos valor e incrementamos a renda do produtor: desde a agricultura familiar, até o produtor de larga escala”, disse o governador Helder Barbalho.

Todos os pequenos e médios produtores que quiserem embarcar rumo a um novo patamar para a produção pecuária, que vai disputar ainda mais o mercado nacional e internacional, terão apoio e incentivo. O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, participou do lançamento e disse que o projeto está em conexão com o governo federal. “Vamos transformá-lo em um programa para todos os estados brasileiros, na certeza de que isso se tornará uma referência no Brasil e mais uma vez para o mundo”, comentou.

O programa traz uma série de metas:

  • Ter 100% do trânsito de bovinos rastreado individualmente até dezembro de 2025;
  • Rastreabilidade de todo o rebanho até dezembro de 2026;
  • 75% dos Cadastros Ambientais Rurais validados até dezembro de 2025 e 100% até dezembro de 2026;
  • Recuperação de 20% da área de pastagens degradadas;
  • Priorização da implementação da rastreabilidade no entorno de Territórios Coletivos, como povos indígenas e comunidades tradicionais.

Por meio de parcerias com a iniciativa privada e terceiro setor, o plano de rastreabilidade vai assegurar o acesso dos produtores aos programas reconhecidos de requalificação comercial e regularização socioambiental. O governo já conta com incentivo financeiro de R$ 123 milhões, anunciado pelo Fundo Bezos e pela JBS nos próximos três anos.

O programa foi lançado durante a COP 28, em Dubai, com anúncio de investimentos do Fundo Bezos e da JBS com R$ 143 milhões (Foto: Thalmus Gama / Agência Pará)

A JBS investirá R$ 43 milhões nos próximos 3 anos em apoio ao Programa de Integridade e Desenvolvimento da Pecuária do Pará, especialmente na agricultura familiar, para melhorar a transparência e a rastreabilidade da cadeia do gado no estado, além de apoiar pequenos produtores com programas de regularização ambiental e adoção de práticas regenerativas e sistemas agroflorestais. A companhia também lidera o projeto-piloto que busca a implementação do sistema de rastreabilidade individual de gado no Pará.

A diretora executiva de assuntos corporativos da JBS, Marcela Rocha, parabenizou a iniciativa do governo do Pará com o lançamento do programa e a oportunidade que o Brasil tem de assumir papel de líder e de exemplo na produção de alimentos. “O que a gente faz aqui, tanto do ponto de vista sanitário como do ponto de vista de sustentabilidade, não tem em lugar nenhum do mundo. A gente atua em todos os continentes. Não tem lugar nenhum no mundo que faça isso que o senhor está tentando fazer agora, que o senhor vai fazer agora. A gente não vê nos Estados Unidos, não vê na Europa, não vê na Austrália”, salientou

O Fundo Bezos também vai cooperar com o programa com R$ 80 milhões nos próximos três anos. Os recursos vão ser aplicados na construção de incentivos para a adesão de produtores ao programa de rastreabilidade. “Isso é bom para todo mundo, não só para um lado”, comentou Christian Samper, diretor executivo do Fundo Bezos destacando que o programa representa uma mensagem para o setor de pecuária de que é uma oportunidade de abertura de mercado.

O Programa de Integridade e Desenvolvimento da Cadeia Produtiva da Pecuária de Bovídeos Paraenses foi construído com a colaboração de 14 organizações do poder público e de representantes da sociedade civil, incluindo:

  • Associação dos Criadores do Estado do Pará (Acripará)
  • Associação das Indústrias Exportadoras de Carne (ABIEC)
  • Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa)
  • Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa)
  • Fundação Iniciativa para Comércio Sustentável (IDH)
  • Federação dos Trabalhadores da Agricultura do Estado do Pará (Fetagri)
  • Instituto de Conservação Ambiental The Nature Conservancy Brasil (TNC)
  • Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora)
  • Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam)
Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.