Domingo, 19 de Maio de 2024 16:51
(94) 992310757
Dólar comercial R$ 5,1 0%
Euro R$ 5,56 0%
Peso Argentino R$ 0,01 -0.55%
Bitcoin R$ 358.893,93 -0.83%
Bovespa 128.150,71 pontos -0.1%
Brasil TRAGÉDIA

Sobe para 66 o número de mortos em temporais em RS

RS enfrenta chuvas severas: 66 mortos, 101 desaparecidos e mais de 700 mil afetados. Desabrigados somam 15.192 e desalojados, 80.573.

05/05/2024 15h06
Por: Gesiel Teixeira Fonte: DOL
Sobe para 66 o número de mortos em temporais em RS

Amanhã deste domingo (05) iniciou com uma triste informação. O Governo do Rio Grande do Sul divulgou uma atualização sobre o número de vítimas fatais e desaparecidos em decorrência dos temporais que assolam o estado desde a última segunda-feira (29).

Subiu para 66 o número de mortes em decorrência às fortes chuvas que atingem o estado desde o fim da semana. Há um total de 101 desaparecidos.

O boletim do governo gaúcho diz ainda que há 707.190 pessoas afetadas pela tragédia e 155 feridos. Entre as 66 mortes informadas pelo governo, há seis em investigação para determinar se, de fato, foram causadas pelas chuvas.

De acordo com a Defesa Civil, 332 municípios foram afetados pela enchente histórica. Ao todo, há 15.192 desabrigados, instalados em alojamentos cedidos pelo poder público, e 80.573 desalojados.

Até a noite deste sábado (4), ainda conforme a Defesa Civil, eram mais de um milhão de imóveis sem abastecimento de água, fornecido pela empresa Corsan, e 418 mil domicílios sem energia elétrica.

Os temporais também afetaram o serviço de telefonia em várias cidades. A TIM informou que 63 municípios estão sem serviços de telefonia e internet. O problema atinge a Vivo em 18 cidades, e a Claro em 53 municípios.

As aulas foram suspensas nas 2.338 escolas da rede estadual. Quase 200 mil alunos foram impactados. Um total de 224 escolas tiveram sua estrutura danificada pelas consequências da chuva.

Em todo o estado, os temporais também provocaram também danos e alterações no tráfego nas rodovias estaduais gaúchas. Segundo a última atualização, neste sábado, eram 128 trechos em 68 delas, com bloqueios totais e parciais, entre estradas e pontes.

Segundo o governo gaúcho, duas barragens estavam em situação de emergência, com risco iminente de romperem.

MADRUGADA TEVE CHUVA E ROTINA DE RESGATES

A chuva voltou a cair na Grande Porto Alegre e em municípios da região norte do estado durante a madrugada deste domingo. Em Canoas, na região metropolitana, populares realizaram um cordão humano dentro da água para auxiliar as embarcações que a todo momento chegavam com pessoas resgatadas das áreas inundadas.

Na noite de sábado, o governador Eduardo Leite (PSDB) afirmou que a região vai precisar de uma espécie de "Plano Marshall", em referência ao plano dos Estados Unidos para reconstrução de países aliados após a Segunda Guerra Mundial.

Leite afirmou que a chegada de reforços será importante para as demais frentes de atuação, como o reconhecimento de corpos e a reconstrução de estadas. A prioridade neste momento, porém, é o resgate das vítimas.

"Tudo o que é possível empregar está sendo empregado. Vai chegar mais gente. Não porque não tenham chegado antes porque não quisessem, mas porque essa mobilização leva um tempo", disse ao ser questionado sobre a ajuda do governo federal nesse esforço.

O presidente Lula (PT) voltará ao estado neste domingo (5) para acompanhar de perto a crise.

Situação no RS após as chuvas

  • 66 mortes
  • 101 desaparecidos
  • 155 feridos
  • 707.190 pessoas afetadas
  • 15.192 desabrigados
  • 80.573 desalojados
  • 418 mil imóveis sem energia
  • 1 milhão de imóveis sem água
Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.