STF determina bloqueio de redes sociais de quem ofendeu a Corte (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Com a decisão do ministro, sete pessoas que estavam sendo investigadas por publicarem ofensas contra o STF podem ser bloqueadas nas redes (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Sete pessoas investigadas por publicarem ofensas contra o Supremo Tribunal Federal (STF) podem ter o bloqueio de suas contas nas redes sociais (Whatsapp, Facebook, Twitter e Instagram) após decisão do ministro da Corte Alexandre de Moraes.

Para o magistrado, foram verificadas mensagens com “conteúdo de ódio e de subversão da ordem” direcionadas ao STF. Nesta terça-feira (16), os suspeitos são alvos de busca e apreensão realizada pela Polícia Federal no Distrito Federal, em Goiás e em São Paulo.

O objetivo do inquérito é apurar notícias falsas, denúncias caluniosas e ameaças que “atingem a honorabilidade e a segurança do Supremo Tribunal Federal, de seus membros e familiares”, relatou Alexandre de Moraes.

Além de um policial civil do estado de Goiás, está entre os alvos o general da reserva Paulo Chagas, que fez postagens nas redes sociais “de propaganda de processos violentos ou ilegais para a alteração da ordem política e social, com repercussão entre seguidores”.

(Com informações da Veja)

https://www.xinguaraativa.com.br/wp-content/uploads/2019/04/destaque-589624-marcelocamargoab.jpghttps://www.xinguaraativa.com.br/wp-content/uploads/2019/04/destaque-589624-marcelocamargoab-150x150.jpgGesiel TeixeiraBrasilJustiçaSTF determina bloqueio de redes sociais de quem ofendeu a CorteSete pessoas investigadas por publicarem ofensas contra o Supremo Tribunal Federal (STF) podem ter o bloqueio de suas contas nas redes sociais (Whatsapp, Facebook, Twitter e Instagram) após decisão do ministro da Corte Alexandre de Moraes. Para o magistrado, foram verificadas mensagens com “conteúdo de ódio e de subversão da...Notícia com Responsabilidade e Transparência