Segunda, 02 de Agosto de 2021 22:48
(94) 992310757
Política Com informações Band

Rodrigo Pacheco será candidato à Presidência em 2022

A informação foi confirmada pelo presidente do PSD durante uma entrevista à Rádio Bandeirantes

14/07/2021 16h22
119
Por: Gesiel Teixeira Fonte: Com informações Band News
 Senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), presidente do Senado Federal
Senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), presidente do Senado Federal

As eleições presidenciais de 2022 promete grandes emoções, e o atual presidente Jair Bolsonaro terá concorrentes de peso. O  presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, confirmou nesta quarta-feira (14) em entrevista à Rádio Bandeirantes que Rodrigo Pacheco, atual presidente do Senado, vai ser o candidato do partido à Presidência da República nas eleições de 2022. Para formalizar a candidatura, ele aguarda apenas a desfiliação do senador do DEM.

"Política tem sempre suas circunstâncias. O PSD tem crescido bastante, procurando crescer principalmente com bons quadros, pessoas que já estão na vida pública. Tivemos em fevereiro a oportunidade de eleger o futuro presidente do Senado. Era uma eleição importante. Naquele momento, conheci Pacheco. Não o conhecia antes, só de entrevistas. Nossa bancada começou a entender que ele seria uma boa opção ao Senado. Era bem preparado, tinha uma história como advogado, deputado federal, senador. E ele mostrou que sabe trabalhar com o eleitor, transmitir sua mensagem", disse Kassab.

"Agora, como presidente do Senado, ele tem sido a voz da pacificação sem deixar de exercer sua autoridade. Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro cometeu um deslize falando que, se o Congresso não aprovasse uma lei que ele queria que aprovasse, não teria eleição. É impensável um presidente falar isso. Ali Pacheco foi firme, se impôs mostrando que não tem compromisso com nada a não ser o futuro do Brasil. Essas circunstâncias foram nos levando a definir pelo seu nome. Ele será nosso candidato. No momento certo vai aceitar", completou.

O líder do PSD ainda reafirmou que, caso Geraldo Alckmin decida disputar o governo de São Paulo terá o apoio do partido. O ex-governador já recebeu convite para se filiar à sigla, caso opte por deixar o PSDB.

Ainda durante a entrevista, Kassab desejou plena recuperação a Bolsonaro, internado hoje para tratar soluços, mas criticou as declarações do presidente envolvendo ameaças às eleições e também a má-gestão do governo na pandemia da Covid-19.

“A fala foi catastrófica. Felizmente o Brasil inteiro se voltou contra aquela afirmação e deixou ele acuado. É impensável vindo de um presidente eleito democraticamente que tem compromisso de cumprir a constituição."

"Em relação à pandemia, eficiência o governo não teve. O mais difícil fez, deu dinheiro para todo mundo, isso temos que reconhecer. Mas fica claro, observando a CPI da Covid, que, se quisemos ser generosos, a condução da pandemia, na melhor das hipóteses, era uma bagunça. Agora, infelizmente, pelos dados, não era só uma bagunça. Se ficar claro que além da má-gestão houve corrupção, será revoltante."

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.