Três instituições federais do Pará obtêm boa avaliação no Inep (Foto: Divulgação)

IGC avalia a qualidade dos estabelecimentos que ofertam cursos de graduação e pós (Foto: Divulgação)

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia do Ministério da Educação (MEC), divulgou ontem (18) as tabelas com os resultados do Índice Geral de Cursos (IGC), indicador que avalia a qualidade dos estabelecimentos que oferecem cursos de graduação e pós-graduação, referentes ao ano de 2017.

A escala vai de 1 a 5. Nenhuma das 35 instituições paraenses avaliadas conseguiu a nota máxima. A nota 4, no entanto, a segunda melhor na avaliação, foi obtida por sete instituições superiores de ensino, sendo três delas universidades públicas: Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) e Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa).

Com relação às instituições privadas no Pará, ficaram com avaliação 4 as seguintes instituições: Centro Universitário do Estado Do Pará (Cesupa), Faculdade Estácio do Pará – Estácio FAP, Faculdade Integrada Brasil Amazônia (Fibra) e Faculdade Metropolitana da Amazônia.

Apenas 34 instituições de ensino superior do país, entre 2.056 analisadas no ano de 2017, obtiveram conceito máximo no IGC. O índice é calculado anualmente e considera as notas dos cursos de graduação e pós-graduação obtidas de cada instituição nos três últimos anos; as notas dos programas de mestrado e doutorado a partir de dados da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior); e a distribuição dos alunos nos diferentes níveis de ensino – graduação, mestrado ou doutorado. As notas dos cursos levam em consideração o desempenho no Enade (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes), mas nem todas as instituições estaduais são obrigadas a se submeter à avaliação. É o caso da USP (Universidade de São Paulo). Por isso, essas universidades não constam no levantamento do Inep.

O Pará tem cinco universidades públicas. Além das três que obtiveram a segunda maior nota de avaliação (4), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFPA) e a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) obtiveram a nota 3.

AVALIAÇÃO

Nenhuma instituição de ensino no Estado obteve a avaliação 1. Cinco instituições privadas obtiveram a nota 2. Esses estabelecimentos devem passar a ser acompanhadas mais de perto pelo MEC ou podem perder sua licença. As notas 1 e 2 fazem com que o Ministério da Educação dê início a um processo de supervisão junto à instituição de ensino superior, que pode provocar a redução de vagas, suspensão de processo seletivo e até em um eventual descredenciamento. Dez instituições em todo país tiveram nota 1, e 268 se encaixaram na faixa 2 do levantamento.

(Luiza Mello/Diário do Pará)

Três instituições federais do Pará obtêm boa avaliação no Inep (Foto: Divulgação)
IGC avalia a qualidade dos estabelecimentos que ofertam cursos de graduação e pós (Foto: Divulgação)

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia do Ministério da Educação (MEC), divulgou ontem (18) as tabelas com os resultados do Índice Geral de Cursos (IGC), indicador que avalia a qualidade dos estabelecimentos que oferecem cursos de graduação e pós-graduação, referentes ao ano de 2017.

A escala vai de 1 a 5. Nenhuma das 35 instituições paraenses avaliadas conseguiu a nota máxima. A nota 4, no entanto, a segunda melhor na avaliação, foi obtida por sete instituições superiores de ensino, sendo três delas universidades públicas: Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) e Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa).

Com relação às instituições privadas no Pará, ficaram com avaliação 4 as seguintes instituições: Centro Universitário do Estado Do Pará (Cesupa), Faculdade Estácio do Pará – Estácio FAP, Faculdade Integrada Brasil Amazônia (Fibra) e Faculdade Metropolitana da Amazônia.

Apenas 34 instituições de ensino superior do país, entre 2.056 analisadas no ano de 2017, obtiveram conceito máximo no IGC. O índice é calculado anualmente e considera as notas dos cursos de graduação e pós-graduação obtidas de cada instituição nos três últimos anos; as notas dos programas de mestrado e doutorado a partir de dados da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior); e a distribuição dos alunos nos diferentes níveis de ensino – graduação, mestrado ou doutorado. As notas dos cursos levam em consideração o desempenho no Enade (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes), mas nem todas as instituições estaduais são obrigadas a se submeter à avaliação. É o caso da USP (Universidade de São Paulo). Por isso, essas universidades não constam no levantamento do Inep.

O Pará tem cinco universidades públicas. Além das três que obtiveram a segunda maior nota de avaliação (4), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFPA) e a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) obtiveram a nota 3.

AVALIAÇÃO

Nenhuma instituição de ensino no Estado obteve a avaliação 1. Cinco instituições privadas obtiveram a nota 2. Esses estabelecimentos devem passar a ser acompanhadas mais de perto pelo MEC ou podem perder sua licença. As notas 1 e 2 fazem com que o Ministério da Educação dê início a um processo de supervisão junto à instituição de ensino superior, que pode provocar a redução de vagas, suspensão de processo seletivo e até em um eventual descredenciamento. Dez instituições em todo país tiveram nota 1, e 268 se encaixaram na faixa 2 do levantamento.

(Luiza Mello/Diário do Pará)

http://www.xinguaraativa.com.br/wp-content/uploads/2018/12/destaque-563541-di.jpghttp://www.xinguaraativa.com.br/wp-content/uploads/2018/12/destaque-563541-di-150x150.jpgGesiel TeixeiraDestaquesEducaçãoParáTrês instituições federais do Pará obtêm boa avaliação no InepIGC avalia a qualidade dos estabelecimentos que ofertam cursos de graduação e pós (Foto: Divulgação) O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia do Ministério da Educação (MEC), divulgou ontem (18) as tabelas com os resultados do Índice Geral de Cursos (IGC), indicador que avalia a...Notícia com Responsabilidade e Transparência