Após rumores de greve, Bolsonaro anuncia 'pacote de bondade' para caminhoneiros (Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

O governo Bolsonaro anunciou esta terça-feira (16) um pacote para atender as demandas dos caminhoneiros e evitar uma nova greve da categoria, insatisfeita após o aumento do preço do diesel em 5,7% na semana passada.

Entre as principais medidas do ‘pacote de bondades’ – como tem sido chamado pela imprensa nacional – estão a criação de uma linha de crédito de R$ 500 milhões destinada a caminhoneiros autônomos e a promessa de R$ 2 bilhões para obras de infraestrutura e manutenção de estradas em todo o país. O dinheiro será dado pelo BNDES.

O pacote vem num momento de insatisfação da categoria, onde surge novos rumores de que poderá haver uma greve geral de caminhoneiros em todo o país.

A categoria transporta 60% de tudo o que é produzido e consumido no Brasil. A última paralisação foi no final do ano passado, durante o governo de Michel Temer. Houve desabastecimento e o país ainda não conseguiu se recuperar totalmente das consequências desta paralisação.

Entenda a Crise

No dia 11 de abril, a Petrobrás anunciou o aumento de 5,7% no preço do diesel. O presidente Jair Bolsonaro suspendeu o aumento logo em seguida, pedindo primeiro uma reunião com os especialistas, para depois decidir de concederia o aumento ou não. “Pedi uma reunião para saber o por quê do aumento. Se conseguirem me convencer, tudo bem. Não entendo de economia, quem entendia afundou o Brasil”, disse o presidente na oportunidade.

A atitude do presidente, muito semelhante às intervenções feitas por Dilma Roussef, não foi bem recebida pelos investidores estrangeiros, que preferem que a Petrobras siga a política de preços internacionais, que oscila quase que diariamente. Como resultado da intervenção de Bolosonaro, o valor de mercado da estatal começou a cair drasticamente.

Após o pacote anunciado, Bolsonaro espera que a categoria, que o abraçou durante sua campanha, continue apoiando seu governo e trabalhe normalmente.

Reação dos Caminhoneiros

Os motoristas de caminhão que participaram da paralisação de 2018 criticaram as medidas anunciadas nesta terça-feira (16) pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.
Caminhoneiros não descartam novas paralisações. Segundo lideranças, as principais reivindicações da categoria —cumprimento do tabelamento do frete e redução do preço mínimo— não foram contempladas no anúncio de hoje.
Para a CNTA (Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos), as medidas anunciadas não dissolvem as tensões na categoria.


(Igor Wilson/DOL)

http://www.xinguaraativa.com.br/wp-content/uploads/2019/04/destaque-589758-caminhoneiros-greve-bolsonaro.jpghttp://www.xinguaraativa.com.br/wp-content/uploads/2019/04/destaque-589758-caminhoneiros-greve-bolsonaro-150x150.jpgGesiel TeixeiraBrasilGovernoGreveBolsonaro,Brasil,Caminhoneiros,pacote de bondade,rumores de greveO governo Bolsonaro anunciou esta terça-feira (16) um pacote para atender as demandas dos caminhoneiros e evitar uma nova greve da categoria, insatisfeita após o aumento do preço do diesel em 5,7% na semana passada. Entre as principais medidas do ‘pacote de bondades’ – como tem sido chamado pela imprensa...Notícia com Responsabilidade e Transparência